Translator

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 24 de maio de 2018

EDDY GRANT-''Killer On The Rampage''-1982
























--------------------------------------------------------------------------
''Killer on the Rampage'' é um álbum de Eddy Grant,artista de Guyana radicado em Barbados,de 1982 . Ele continua sendo seu álbum de maior sucesso, atingindo o top 10 nos EUA e no Reino Unido.  ''Killer on the Rampage'' apresenta os sucessos " Electric Avenue " (que foi um grande sucesso nos EUA e número 2 no Reino Unido), " I Don't Wanna Dance " (um hit número 1 no Reino Unido) e "War Party"..
Foi gravado em seu próprio estúdio Blue Wave Studios,produzido por Eddy Grant,engenhado por Frank Agarrat e masterizado por Tim Young..
-------------------------------------------------------

https://en.wikipedia.org/wiki/Killer_on_the_Rampage

Track listing

All songs written , arranged by Eddy Grant. ( Copyright Greenheart Music)
  1. " Electric Avenue "–3:48
  2. " I Don't Wanna Dance "–3:40
  3. "It's All in You "–4:26
  4. "War Party "–3:54
  5. "Funky Rock 'N' Roll"–4:30
  6. "Too Young to Fall "–4:28
  7. "Latin Lover Affair "–4:18
  8. "Another Damn Revolutionary"–5:16
  9. "Drop Baby Drop"–3:33
  10. "Killer on the Rampage"–3:29

domingo, 20 de maio de 2018

HUGH MUNDELL-''Africa Must Be Free By 1983''-(1978)
























----------------------------------------------------------------------------
Uma das raízes mais importantes das gravações rasta apareceu pela primeira vez em 1978. Essas sessões foram gravadas ao longo do tempo em vários lugares, incluindo os estúdios Channel 1, Joe Gibbs, Harry J e Black Ark Studios de Lee Perry, mas há uma consistência na música que flui junto como uma suíte. Na verdade, algumas das melodias parecem ecoar umas às outras. Mundell escreveu este álbum com a ajuda de Augustus Pablo. A bateria é tocada principalmente por Carlton ''Santa'' Davis com o onipresente Robbie Shakespeare no baixo.Na bateria também Leroy ''Horsemouth Wallace,Jacob Miller e Benbow. Clayton Downie e Geoffrey Chung tocam guitarras rítmicas e Earl ''Chinna'' Smith toca guitarra solo e rítmica. Augustus Pablo toca piano e órgão, assim como Pablo Black nos lados do Dub. E ainda por cima há um punhado de trombone,e a batida 'rockers' fornecida por Leroy ''Horsemouth'' Wallace. O conceito era grande e parecia realista na época, mas é claro que o petróleo na Nigéria, no Sudão e em Angola, o cobre e outros metais preciosos no Congo, etc., garantiram que os colonialistas ficassem por ali. As canções acompanham a névoa Rastafari, mas é uma névoa azul de qualidade. A gravadora RAS Records coloca os dois álbuns originais lado a lado. Eu pensei que talvez intercalar os dubs com suas músicas seria uma boa jogada, mas não,a RAS estava certa, já que na verdade o primeiro álbum começa a se dublar no final e o momento é definitivamente preservado por ter todas as músicas juntas então liberar o som :''dubbity-dubba-dub-dubbbs''...
As músicas mais fortes são o corte de abertura, "Let's All Unite",''My Mind'' e o título ''Book Of Life''. O álbum dub coloca esses ''back-to-back'' para efeito perverso. Como você sabe, Augustus Pablo era mais conhecido como um tocador de melódica e suas pistas de piano são simples e elegantes. Benbow, Jacob Miller e Horsemouth também adicionam percussão nos lados de dub, e o vocalista do Studio One, e baixista /vocalista do Heptones, Leroy Sibbles, também toca no álbum. Um produto de qualidade...
----------------------
http://www.muzikifan.com/jamaica.html
----------------------------

Tracklist

A1Hugh MundellLet's All Unite
A2Hugh MundellMy Mind
A3Hugh MundellAfrica Must Be Free By 1983
A4Jah Levi Why Do Black Men Fuss And Fight
B1Jah Levi Book Of Life
B2Hugh MundellRun Revolution A Come
B3Hugh MundellDay Of Judgement
B4Hugh MundellJah Will Provide
B5Hugh MundellItal Sip

Companies, etc.

  • Phonographic Copyright (p) – Pablo Music
  • Mastered At – Dynamic Sounds Recording Co. Ltd. – DSR 6952
  • Mastered At – Dynamic Sounds Recording Co. Ltd. – DSR 6953

Credits

  • Bass – Leroy Sibbles, Robbie Shakespeare
  • Drums – Benbow, Carlton (Santa) Smith*, Jacob Miller, Leroy (Horse Mouth) Wallace*
  • Engineer – Errol Thompson, P. Smart*, S. Morris*
  • Guitar [Lead] – Earl (Chinna) Smith*
  • Guitar [Rhythm] – Clayton Downie, Jeffrey Chang*
  • Mastered By – D.T.*
  • Photography – D. Ellis
  • Producer – H. Swaby*
  • Strings, Piano, Organ – Augustus Pablo

domingo, 22 de abril de 2018

JOE YAMANAKA-''Reggae Vibration''-1982
























----------------------------------------------------------------------------
Akira Yamanaka ( Ya 中 明 Yamanaka Akira , 2 de setembro de 1946 - 7 de agosto de 2011) , mais conhecido como Joe Yamanaka ( ジ ョ ー 山 中 ) , era um cantor e ator japonês.                                  Joe é conhecido por seu trabalho com Flower Travellin 'Band e como músico solo; cantando em um alcance vocal de três oitavas..
Ele era amigo íntimo de inúmeras celebridades, incluindo Mickey Curtis e Yoko Ono . Joe gravou o tema de entrada para Shinji Takehara intitulado "Hot Vibration" e compôs a música "Sorrow of Florence" com sua amiga Amália Rodrigues . Mais tarde, ele se tornou o vocalista dos The Wailers por cerca de cinco anos depois que seu amigo Bob Marley morreu.
Esse álbum ''Reggae Vibration  '' foi gravado em 1982 com a banda de Bob Marley,The Wailers,e tem mais dois volumes,Reggae Vibration II e Reggae Vibration III,os dois últimos gravados com sua banda japonesa mesmo '''Joe And The Reggae Fighters''...
Músicos participantes:
Guitarra Baixo – Aston "Family Man" Barrett
Bateria – Carlton "Carly" Barrett
Engenheiro de Som – Errol Brown
Keyboards – Earl Lindo
Guitarra Solo – Junior Marvin
Percussão – Alvin "Seeco" Patterson
Produção – Akira Ito, Joe Yamanaka
Sintetizador (Minimoog) – Akira Ito
Vocais – Joe Yamanaka
------------------------------
https://en.wikipedia.org/wiki/Joe_Yamanaka
https://www.discogs.com/Joe-Yamanaka-The-Wailers-Reggae-Vibration/release/6682377

Tracklist

A1Rastafari Part I2:31
A2Reggae Vibration3:28
A3I'm A Stranger4:23
A4As The Time Passes By4:53
A5A New Day Is Rising Now4:03
B1Caribbean Love Song3:45
B2Shining Star3:43
B3On Your Own3:53
B4Travel On Again3:31
B5Never Too Late3:50
B6Rastafari Part II0:31

segunda-feira, 16 de abril de 2018

JUNIOR MARVIN - “Lion To Zion Dub-Wise” - 2013
























----------------------------------------------------------------------------------
Nascido na Jamaica, Junior Marvin mudou-se para Londres quando criança, onde seu amor pela atuação e pela música foi nutrido. Ele apareceu no filme dos Beatles “Help”, que foi seguido por várias outras aparições na televisão. Enquanto isso, Junior fez seu aprendizado musical na América tocando com nomes como Blues Legend T-Bone Walker e Ike and Tina Turner. Ele rapidamente ganhou uma reputação como um guitarrista de blues e rock inovador e expressivo. De volta à Inglaterra, ele tocou com bandas como Herbie Goins and The Nighttimers, Blue Ace Unit e White Rabbit.
Em 14 de fevereiro de 1977 (Dia dos Namorados), Junior foi convidado a se juntar a Stevie Wonder e Bob Marley & The Wailers. Seus colegas de escola e amigos músicos escolheram Bob Marley pelo fato de serem ambos jamaicanos. Chris Blackwell da Island Records procurou Junior Marvin como um guitarrista de rock e blues inovador, explosivo e único, no qual eles precisavam de um guitarrista como ele para fazer o trabalho de globalizar o som da banda para dar aquele som de rock e gancho, por sua vez , que preencheria anfiteatros e criaria um apelo para pessoas de todo o mundo. Durante esse período, Junior Marvin trabalhou junto com o engenheiro eletricista e inventor Roger Mayer, que ajudou Jimi Hendrix a desenvolver seu som único de guitarra. A guitarra solo do Junior Marvin tocando em músicas como; The Heathen, Waiting in Vain, Jammin, Could You Be Loved, e Exodus, para citar alguns, melhoraram memorizadamente as músicas da maneira que estavam procurando, o que contribuiu para o sucesso delas se tornando alguns de seus maiores sucessos.
 Esse trabalho de Junior Marvin “Lion To Zion Dub-Wise” ,de 2013, traz músicas instrumentais de seus outros álbuns ''Waili'n'' e  “Smokin 'To The Big M Music”,como sempre ,com um desempenho magnífico com sua guitarra solo..
Temas: Preacher Dub ,People Dub ,Love Dub Today,Totally Awesome Dub ,Life Without You Dub,It's Your Dub ,Dub Steady,It's Alright Dub ,Our Dub (Happy Family) ,Some Dub ,Supernatural Dub , Burnin' Dub e Redemption Dub ..
Mais recentemente, ele trabalhou em um novo EP com sua banda, Force One, de Junior Marvin..
-----------------------------
https://www.warwicksu.com/ents/event/14452/
-----------------------------
FAIXAS
1  Preacher Dub 04:56
2  People Dub 04:11
3  Love Dub Today 05:15
4  Totally Awesome Dub 04:29
5  Life Without You Dub 04:21
6  It's Your Dub 04:14
7  Dub Steady 03:47
8  It's Alright Dub 04:02
9  Our Dub (Happy Family) 03:45
10  Some Dub 04:23
11  Supernatural Dub 03:24
12  Burnin' Dub 03:48
13  Redemption Dub 04:40

sábado, 24 de março de 2018

GREGORY ISAACS With THE ROOTS RADICS-''Come Fly With Me''-198x
























----------------------------------------------------
Gregory Isaacs With The Roots Radics-''Come Fly With Me''..
Esse álbum é muito raro,e foi gravado pelo saudoso Gregory Isaacs suportado pelos Roots Radics,provávelmente na década de 1980,pelo selo Island Full Dimensional.
Um dos mais conhecidos e respeitados artistas jamaicanos de todos os tempos, Gregory Isaacs era um verdadeiro garoto rude de Kingston, cuja mistura de raízes contundentes e um reggae doce e romântico capturou os corações e mentes dos fãs durante um período de mais de duas décadas. .
A Roots Radics Band foi formada em 1978 pelo baixista Errol "Flabba" Holt, pelo guitarrista Eric "Bingy Bunny" Lamont e pelo baterista Lincoln "Style" Scott. Eles se juntaram a muitos músicos, incluindo o guitarrista Noel "Sowell" Bailey, Dwight Pinkney e Steve Golding, o tecladista Wycliffe "Steelie" Johnson, o pianista Gladstone "Gladdy" Anderson e o saxofonista Headley Bennett. Como uma força combinada, a Roots Radics tornou-se uma banda de estúdio e palco muito respeitada, que dominou o som na primeira metade dos anos 80. Eles apoiaram artistas como Bunny Wailer, Gregory Isaacs, Michael Prophet, Eek-A-Mouse e Israel Vibration e lançaram vários álbuns para o seu nome também. Como um aparte, a palavra inglesa 'Radical' é derivada da palavra latina 'Radix', que é a palavra latina para 'Raiz'...
-----------------------
https://en.wikipedia.org/wiki/Roots_Radics

quinta-feira, 15 de março de 2018

PETER BROGGS-''Reasoning''-1990
























-------------------------------------------------------------
A gravadora Ras Records lançou oito álbuns de Peter Broggs com duas compilações, um relançamento (do primeiro álbum progressivo de Broggs) e cinco álbuns de estúdio gravados exclusivamente para o rótulo. Os dois primeiros álbuns desse grupo foram os muito bem recebidos Rastafari Liveth! (o primeiro lançamento em Ras Records, como mencionei) de 1982 e o maravilhoso ''Rise And Shine'' de três anos depois. Entre esses dois álbuns, eles contêm muitas das músicas que se tornaram sucessos para o Broggs assim, voando em algum lugar abaixo do radar durante as últimas quase duas décadas de tempo desde o lançamento, foi a terceira versão Ras Records de Broggs.
As músicas dos dois álbuns anteriores, canções como Rastafari Liveth, No Ism Pon de Riddim, Rastaman Chant Nyabinghi e, claro, Jah Jah Voice é Calling e International Farmer (provavelmente a melodia mais conhecida de Broggs que apareceu em seus dois primeiros lançamentos RAS) são em grande parte aqueles em que Broggs fez seu nome, mas uma rápida viagem através de ''Reasoning'' ,álbum de 1990,revela que a qualidade depois desses dois praticamente não mudou. E embora, como mencionei, musicalmente falando a música de Broggs está muito longe das vibrações de Bob Marley (não em termos de qualidade, falando especificamente sobre os tipos de raízes que eles fazem), mas coincidentemente, a parte do leão , ''Reasoning'' foi gravado no lendário estúdio de Marley, Tuff Gong. Além disso, na época, a RAS Records era, sem dúvida, o maior e definitivamente um dos rótulos de reggae puro mais produtivos do mundo e, portanto, Broggs estava trabalhado com alguns dos melhores nomes do negócio nesta versão. Músicos como Aston ''Familyman'' Barrett (outra conexão de Marley), Dean Fraser, Dwight Pickney, Bongo Herman, Flabba Holt e até Augustus Pablo compreendem os tocadores de instrumentos sobre ''Reasoning'', também verificando os vocais de apoio femininos como JC Lodge e Nadine Sutherland. O álbum abre com a forte ''Four Hundred Years''. Novamente, como é o estilo dele, a versão de Broggs da pista é muito mais tranquila do que a de Peter Tosh, mas facilmente tão poderosa. A melodia também é um exemplo muito bom de como apreciar a voz de Broggs, que ele combina maravilhosamente com o coro cantando na melodia e é como uma das faixas mais fortes em ''Reasoning '' em geral. As duas faixas que seguem imediatamente a abertura são muito fortes também. ''Cry Freedom'' é uma composição muito agradável sobre a qual Broggs oferece uma peça muito semelhante ao hino sobre as injustiças do mundo e o que pode acontecer com aqueles que continuam a ajudar a tornar o mundo um lugar desagradável. Ainda mais forte do que ''Cry Freedom'' e novamente, uma das melhores faixas do álbum relativamente breve é ​​a faixa-título. ''Reasoning'' a música é uma trilha muito boa. Tem uma vantagem histórica para ele liricamente e musicalmente não é nada atípico de grande parte do material produzido durante a era. Os resultados acham que Broggs invoca os nomes dos anciãos e convoca as gerações de pessoas hoje para lembrá-los e suas obras e dar-lhes honra. ''Reasoning'' é uma faixa que se une a linhas e linhas de outras músicas que me deixam absolutamente louco quanto ao motivo pelo qual elas não eram maiores do que acabaram por ser. Talvez seja devido à exposição que recebeu (que, considerando o tempo, era realmente muito bom, tanto que ele tinha um álbum inteiro com o nome da música), as vibrações populares da época (o que teria sido em 1990 durante uma das fortes e pesadas vibrações de dancehall na Jamaica) ou outro motivo, mas, seriamente, o a pista ''Reasoning'' está definitivamente entre os melhores esforços de Peter Broggs que você já ouviu (talvez seja ainda mais desconcertante o fato de que em ambas as duas maiores compilações subsequentes RAS lançado para Broggs, Peter Broggs Ras Portraits e This Crucial Reggae: Peter Broggs, a música também está ausente de ambos).
 ''Reasoning'' o álbum, atinge seu pico com a trilha cinco, Trodding. A faixa (também ausente das duas compilações de grandes sucessos) é absolutamente deliciosa e eu chegaria tão longe como prescrever-lhe uma escuta quase obrigatória para todos aqueles que procuram orientação ou vivendo o modo de vida Rastafari. É o tipo de música que é Trodding, o que até me atraiu originalmente para voltar e começar a entrar fortemente nas vibrações de Peter Broggs, como eu mencionei, as raízes não têm mais raízes do que a música de Broggs. E surpreendentemente, como eu mencionei, ele é significativamente mais popular no exterior do que aqui, pois sua música, talvez mais do que qualquer outro artista que vem à mente, especificamente tenha a vibração para fazer para as pessoas que seguem o caminho de Rastafari (eu incluído ) se sente tão bem em seguir esse caminho. Canções como Trodding são definitivamente o que faz com que o saudoso artista  Broggs seja ele e me deixa ainda mais vexado de que ele nunca se tornou uma estrela ainda maior do que ele conseguiu tornar-se (e o que ele fez tornou-se certamente mais respeitável em status). O equilíbrio do álbum ''Reasoning'' também não decepciona e continua impressionando. Verifique ''Invasion'', que é um apelo de advertência para aqueles que procuram viver e tentar viver uma forma justa de ser a causa da invasão daqueles que devem lutar contra a justiça, que é um tema bastante padrão das raízes da era de Broggs certamente, mas , novamente, ele coloca seu próprio estilo e assinatura nas vibrações, o que torna a música muito poderosa definitivamente. Ainda mais forte do que ''Invasion'' é ''Vision'' que imediatamente segue. era uma música com a qual conheci o ingresso no álbum. É uma das faixas mais pesadas e mais escuras de Broggs (e menos melódicas também), mas a combinação de Broggs e seus cantores de alto nível, particularmente em ''Vision'', fazem absolutamente a canção uma vencedora, óbviamente, ao lado das letras da música. ''Reasoning'' conclui com uma das faixas mais populares da Broggs ''Cheer Up'' (que é destaque em suas compilações de maiores sucessos para RAS) e uma maneira absolutamente maravilhosa de terminar um álbum...
----------------------------
https://www.amazon.com/Reasoning-Peter-Broggs/dp/B000000PZZ
--------------------------

 Track Listings 

   1. FOUR HUNDRED YEARS   

 2. CRY FREEDOM    

3. REASONING    

4. SHOW SOME LOVE   

 5. TRODDING    

6. MILITARY MAN    

7. INVASION    

8. VISION    

9. THE SYSTEM    

10. CHEER UP

sexta-feira, 9 de março de 2018

I WORD And THE SOUND OF CREATION-''Spread The World''-1982

























--------------------------------------------------------------------------
I WORD And THE SOUND OF CREATION-''Spread The World''-1982
 I Word (Edward Sprinkle) e The Sound of Creation - ''Spread The World''- 1982
Apenas curioso de alguém que tem este vinil ou já ouviu isso. Eu sei que havia apenas 1.000 cópias pressionadas,pelo selo Healing Voice, mas eu ouvi dizer que apenas um punhado desses realmente fez isso fora do edifício dos fabricantes, devido a uma questão desconhecida.  I Word lançou um CD há alguns anos atrás, mas só continha algum álbum e algumas dessas faixas foram remixadas.  Para aqueles que não conhecem a história da gravação, foi a primeira gravação dos Wailers depois que Bob Marley morreu. Foi gravado no Estúdio Tuff Gong no final de 1981. Bob também co-escreveu uma faixa no álbum. O álbum deveria ser lançado no rótulo Tuff Gong, mas devido a problemas desconhecidos, nunca aconteceu.  O LP possui músicos como: Aton ''Familyman'' Barrett, Carlton Barrett, Wya Lindo, Tyrone Downie, Junior Marvin ,Al Anderson, Earl ''Chinna'' Smith ,Alva Reggie Lewis, Andy Bassford, Seeco .
 Melodica: Augustus Pablo Jah Levi (possivelmente Hugh Mundell?)  Metais: Tommy McCook ,Roland Alphonso ,Dean Fraser, Deadly Headly ,Cedric Brooks, Bobby Ellis, Dave Madden, Chico e Nambo..
Vocais de backup: I-Threes ,Israel Vibration, Mighty Diamonds, Tamlins, Pam Hall, Justin Hinds And the Dominoes ..
------------------------------------
 Fontes:
http://snwmf.com/phorum/read.php?1,142722,352411
https://www.discogs.com/I-Word-The-Sound-Of-Creation-Spread-The-Word/release/3829382
------------------------------

Tracklist

A1Spread The World
A2This Is The Time Of Our Lives
A3No Doubt About It
A4Rastafire Chant
A5Pass The Holy Grail (Fire Version)
B1We Are One
B2I Live
B3Uplift Yourself
B4Jah Love Will Conquer All
B5Mango Connection

Companies, etc.

  • Recorded At – Tuff Gong Recording Studio
  • Mixed At – 21st Century Production

Credits

  • Arranged By – Robert Edward Sprinkle (Wolde Selassie I)
  • Artwork [Painted Masterfully] – Geraldine Robbins
  • Bass – Family Man
  • Co-producer – Family Man, Chiao NG, Rick Chapman
  • Cover [Album Cover Concept] – Iword
  • Drums [Thunder Drums] – Carly Barrett
  • Flute – Medicine Wind
  • Guitar – Al Anderson, Andy Bassford, Family Man, Chinna
  • Harmonica – Pete (66)
  • Harmony Vocals – Apple (From Israel Vibes), Mighty Bunny Diamonds, Mighty Judge Diamonds,Judy Mowatt, Junior Big Bird (From Tamlins), Justin Hinds, Marcia Griffiths, Pam Hall, Rita Marley,Mighty Tabby Diamonds, Wiss (From Israel Vibes)
  • Keyboards – Family Man
  • Lead Guitar – Junior Marvin
  • Lead Vocals – Iword
  • Mixed By – Iword, Rick Chapman
  • Mixed By [Assistant] – Andy Kakas
  • Organ – Wire
  • Percussion – Seeco, Family Man, Devon Dread, Iword
  • Performer – I Word and The Sound Of Creation
  • Piano – Wire*, Tyrone Downie
  • Producer – Robert Edward Sprinkle (Wolde Selassie I)
  • Recorded By – Chiao
  • Recorded By [Assistant] – Sticko, Chris
  • Rhythm Guitar – Guitsagy
  • Saxophone – Deadly Headly, Cedric Brooks, Dean Fraser
  • Synthesizer – Barry Desenko, Iword, Rick Chapman
  • Toasting [Second D.J.] – Papa Shants (tracks: B5)
  • Trombone – Nambo, Specs 
  • Trumpet – Bobby Ellis, Dave Madden
  • Written-By – Robert Edward Sprinkle (Wolde Selassie I)*

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Mo'KALAMITY- ''Mo'Kalamity Meets Sly And Robbie ''One Love Vibration''-2018
























---------------------------------------------------------------------
Se existe um álbum esperado para este início de 2018, é o da cantora Mo'Kalamity de Cabo Verde,radicada na França.  Depois de Warriors of Light , Deeper Revolution e Freedom of Soul, a bela menina voou para a Jamaica para gravar seu 4º álbum que foi lançado em 26 de janeiro de 2018.  ''Mo 'Kalamity Meets Sly And Robbie - One Love Vibration . Para este álbum intitulado ''Mo'Kalamity Meets Sly And Robbie ''One Love Vibration'' ,  Mo ' foi encontrar legendas legais do reggae jamaicano, a dupla baixo / bateria mais famosos do reggae mundial Sly Dunbar e Robbie Shakespeare que tocaram para Black Uruhu , Gregory Issacs , Jacob Miller , Peter Tosh , Serge Gainsbourg e tantos outros que seria impossível mesmo para eles citarem todos.  Mo'Kalamity  na sua chegada em Kingston, Mo ' registra 4 títulos envolvidos por Sly e Robbie, mas também outros tamanhos da música. Inclui Robbie Lyn no teclado, Dalton Browne e Mickey ''Mao'' Chung nas guitarras e também o grande saxofone de Dean Fraser .   Depois de retornar a Paris por um mês, Mo ' retorna a Kingston no Anchor Studio para se juntar a Sly e Robbie para continuar a gravar este álbum que ela escreveu e compôs (como seus álbuns anteriores), e apenas dois títulos foram compostos pela lendária dupla.  O álbum inteiro foi gravado no bom caminho jamaicano antigo, que é ao vivo e um tiro que dá uma dimensão particular a este projeto. O primeiro título '' Kingdoms of Africa '' e seu belo clipe foram apresentados por Rasdjoh em novembro de 2017.  O álbum apresenta oito faixas muito raízes com a voz da talentosa cantora, uma voz que reconhecemos entre 1000 e um título Dub.  A partir das primeiras medidas deste projeto, sabemos o que temos que fazer ,e que o álbum de Mo'Kalamity será muito bom. ..
---------------------------------------------
https://www.lagrosseradio.com/reggae/webzine-reggae/chronique-reggae/p21001-mo-kalamity-meets-sly-robbie-one-love-vibration
Tracklisting 
01 - Kingdoms Of Africa 
02 - Open Your Eyes 
03 - Fire 
04 - Moonlight 
05 - Leave Out Babylon 
06 - Strength Of A Woman 
07 - What Kind Of World ? 
08 - Throw Down Your Guns 
09 - Kingdoms of Africa (dub) 

domingo, 4 de fevereiro de 2018

THE ITALS-''Cool And Dread''-1990
























-------------------------------------------------------------------------------
Como ''Brutal Out Deh '' foi um álbum de estréia tão impressionante, os lançamentos subsequentes do Itals parecem sofrer injustamente por comparação. Para qualquer outro grupo de harmonia de raízes, o  disco ''Cool And Dread'' pode ser visto como um destaque de carreira, mas, como o Itals já realizou essa façanha em sua primeira tentativa, eles terão que se conformar com a gravação de outro conjunto de músicas apertado, provocativo, às vezes transcendente. Keith Porter, Ronnie Davis e David Isaacs se produzem nesse esforço, apoiados pelos talentos combinados dos Roots Radics e da Vital Band. O uso efetivo de teclados e metais ''punchy'' aumenta a dureza inesperada sem prejudicar os ritmos hipnóticos e os belos toques de harmonia. Às vezes, as vozes do trio são tão adoráveis ​​e edificantes que quase escondem a seriedade das letras. As vozes solitárias de "Material Competition" acreditam na mensagem anti-materialista da música ao ponto em que os Itals quase soam como se estivessem comemorando o materialismo em vez de criticá-lo. No entanto, essa mesma entrega alegre e positiva dá a "Sing Farewell" uma credibilidade melancólica que pode realmente persuadir um ouvinte a seguir seu exemplo e virar a outra bochecha enquanto cantarolava o coro inescapável. A bela "Peace And Love" ,celestial ,também é instantaneamente memorável. O álbum termina com o sulco persuasivo de "Jah Help Those" (Jah ajuda a quem se ajuda a si mesmo), que segue em "Helpful Dub ", permitindo que os Itals explorem de forma criativa enquanto inspiram seu público. Cool And Dread combina com a qualidade de qualquer álbum do The Itals desde a sua estréia notável, e graças a essas harmonias incríveis, a busca de almas raramente pareceu tão estimulante. ~ Vince Ripol, All Music Guide
--------------------------
https://www.amazon.com/Cool-Dread-Itals/dp/B00000390C
---------------------
TRACKLIST
1-Heathen 4:04  
2-Sing Farewell 3:57
3-Easy Now 3:47
4-Material Competition 3:28
5-I Am What I Am 3:54
6-What an Agony 3:32
7-Peace and Love 3:55  
8-Chat With My Woman 3:57
9-Jah Help Those 3:51
10-Helpful Dub 3:52

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

SCIENTIST e HEMPRESS SATIVA-“Scientist Meets Hempress Sativa in Dub” -2018
























------------------------------------------------------------------------------------
Hempress Sativa lança um novo álbum de Dub para 2018, “Scientist Meets Hempress Sativa in DUB” .
Este é um álbum Dub de 10 músicas produzido pelo selo Conquering Lion Records e mixado pelo lendário Scientist,e está programado para ser lançado em 11 de fevereiro de 2018...
Participação de  Ranking Joe, Paolo Baldini (Dubfiles). “Scientist Meets Hempress Sativa in DUB”  .  O Álbum é uma evocação para a década de 1970 da Jamaica, com o ''The Master Of Dub Mix'' Hopeton "Scientist" Overton Brown na verdadeira essência e respeito pela cultura, usa um console analógico para manipular os riddims; ao transformar as palavras da "Máquina lírica" ​​(“Lyrical Machine”) em misticismo musical que transcende a norma. Scientist recria um fenomenal equilíbrio da velha escola e da nova, perpetuando um sistema de som entusiástico e isolando instrumentais enquanto desencadeia um efeito de graves trovejantes. O Álbum também possui uma mixagem distintamente diferente de "Wah Dada Deng Boom" de Paolo Baldini, da Dubfiles. Hempress Sativa lançou seu álbum estrelado intitulado ''Unconquerebel'' no início de janeiro de 2017 e está disponível em todas as plataformas digitais em vinil e  créditos de CD's e lançamentos em 10 de fevereiro de 2018...
------------------------------
TRACKLIST
 1. Revolution DUB
2. Rock It Ina DUB
3. Skin Teeth DUB
 4. Heathen Wage DUB
5. Boom Wah Da Da Deng DUB
6. Jah Will Be There DUB
7. No Peace DUB
 8. We All DUB
9. Fight For Your DUB
10. Natty Dread DubWise feat. Ranking Joe
-------------------------
https://hempresssativa.bandcamp.com/album/scientist-meets-hempress-sativa-in-dub

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

DILLINGER-''CB 200'' -1976
























-----------------------------------------------------------------------
Com o apoio dos The Revolutionaries no estúdio Channel One, Dillinger atingiu um platô de carreira com esta gravação ''CB 200'' ,LP de 1976 lançado pela Island. O disco não é apenas cheio de alguns dos seus melhores toasters, mas apresenta ritmos clássicos aos gostos dos Mighty Diamonds e Gregory Isaacs (a faixa do título) também. Há também muitos esmagamentos aqui, incluindo "Cocaine in My Brain" e "Crankface", um dueto com o DJ Trinity . O som é escuro e colorido, cheio de metais fumegantes e texturas dubby, que são perfeitas para a entrega de Dillinger . Enquanto pensava no poder dos bloqueios ("Natty Kick Like Lightning") e uma boa fumaça em ole 'Blighty ("Buckingham Palace"), Dillinger atingiu a marca com CB 200 , em uma junção entre seus triunfos iniciais para Lee Perry e muitos lançamentos posteriores de qualidade variável. Em 2004, ambos os discos  ''CB 200'' e seu seguimento, ''Bionic Dread'' , foram oficialmente re-lançados em uma compilação de CD único de edição limitada da Hip-O Select, com o recém-remasterizado áudio cortesia do engenheiro ganhador do Grammy, Gavin Lurssen ...
----------------------

https://www.allmusic.com/album/cb-200-mw0000852048
------------------------
             Title/Composer/ Performer/Time
1 CB 200- Dillinger -Dillinger 2:37
2 No Chuck It-Dillinger- Dillinger 2:56
3 Cokane in My Brain- Dillinger- Dillinger 2:47
4 The General - Dillinger -Dillinger 3:00
5 Power Bank- Dillinger- Dillinger 3:13
6 Plantation Heights-  Dillinger- Dillinger 2:57
7 Race Day -Dillinger- Dillinger 3:58
8 Natty Kick Like Lightning -Dillinger- Dillinger -2:31
 9 Buckingham Palace- Dillinger- Dillinger 4:14
10 Crankface- Dillinger- Dillinger 2:42





domingo, 12 de novembro de 2017

MAD PROFESSOR-''Dubbing With Anansi''-2015
























--------------------------------------------------------------------------------------
Ele pode não ser um professor, ele pode ser um pouco diferente. Uma coisa é certa e é isso que Neil Joseph Stephen Fraser (também conhecido como Mad Professor ) é um veterano do dub. Tendo trabalhado com muitos dos grandes ,como Lee 'Scratch' Perry (com quem colaborou em ao menos dez álbuns), Sly and Robbie e Pato Banton - seu próprio catálogo de volta também é impressionante. Ele criou mais de cinquenta álbuns, não incluindo a coleção com Scratch, nem em seu próprio direito, nem em associação com outros artistas.  Ganhando seu nome do seu fascínio pela eletrônica como pré-adolescente, Mad Professor mudou-se da Guiana para Londres aos 13 anos. Em seus 20 e meio anos, ele lançou a Ariwa Sounds em sua sala de estar  em Thornton Heath e ganhou o apoio de John Peel . No momento em que os anos 90 tinham chegado, Mad Professor era um remixador procurado por seu próprio direito, como o The Orb testemunhará, assim como o Massive Attack após a remixação de seu segundo álbum (Protection) no marco que foi No Protection,que viu o status dele aumentar ainda mais .  Com a idade de 59 anos (ou 60, dependendo de onde você obtém sua informação), Mad Professor lançou um novo álbum de material de Dub em 2015, que celebra o espírito de Anansi,a aranha da África Ocidental que também se tornou parte do folclore do Caribe..
 Como o álbum sugere, ele possui reverb. Dubs curtos, dubs longos, até mesmo dubs que são dublados e tudo é ótimo. Esmagamentos de vidro, latidos de cães e gritos do Professor. Está tudo aqui. Além de dubs instrumentais, há vários vocalistas, incluindo Brother Culture, Frankie Paul e Delroy Williams.  Curiosamente,  música de abertura ''Atlantic Crossing'' contém muito pouco dub, mas em ''Rebel Gathering'' (que tem semelhanças com a linha de baixo Get Up Stand Up) é tudo colocado em direitos. Dubs são inseridos exatamente nos momentos certos através de linhas de baixo, seção de metais e ''hit-hats''.  ''Culture Vulture'' tem as melodias mais sutis, mas é amarrada por reverbs de igual medida e também de proezas gigantes. Parece haver tantos "truques de comércio" na pista que é difícil ver o que mais poderia ter sido incluído. É uma lição em dub.  Os sons de abertura da Babilônia de ''Middle Passage'' contêm instrumentos de sopro gentis e o som de pássaros tagarelando, seguindo rapidamente por um cão atirando e depois de volta para nossos amigos aviários. É profundo no baixo e tem um som vazio e oco que continua por toda parte.O álbum  ''Dubbing With Anansi'' é dub no seu melhor, nada mais ,nada menos,,,
-----------------------
http://louderthanwar.com/mad-professor-dubbing-with-anansi-album-review/
----------------------

Tracklist

A1Atlantic Crossing
A2Rebels Gathering
A3The Sound Tester (Sound Crash)
A4Maroon Attack
A5Culture Vulture
B1Middle Passage
B2Tribal Dance
B3Rasta Interpreter
B4Lil Lopez
B5Lamin's Lament
B6Anansi Spell

Credits

  • Producer – Mad Professor

domingo, 15 de outubro de 2017

ANITA ANTOINETTE-''Smile''-2017
























------------------------------------------------------------------
Anita Antoinette escolheu o título de seu álbum de estréia independente via Instagram. Ela alcançou seus dezenas de milhares de fãs nas mídias sociais para ajudá-la a decidir sobre um título. Em 24 de agosto, ela escreveu as sugestões em pedaços de papel e retirou o artigo que tinha "Smile" escrito sobre ele. Anita sempre agradeceu sua base de fãs por apoiá-la quando ela estava na The Voice e presa com ela até o momento. Seu primeiro single intitulado "Care" foi lançado anteriormente em 15 de junho de 2016. O Álbum representará a paleta musical de Anita com uma mistura de Reggae, World Music, Folk e Blues.  Anita Antoinette cresceu dançando ao ritmo das músicas de seu pai, o ícone do reggae Clinton Fearon em Kingston, Jamaica. Ela migrou para os Estados Unidos em 1997, onde se estabeleceu primeiro no sul de Boston e, em seguida, New Britain, Connecticut ,com sua mãe, irmãos e irmã. Cantora e guitarrista autodidata, Anita começou a escrever sua própria música como adolescente, inspirada por seu pai e lendas como Bob Marley, India Arie e Erykah Badu. Ela se formou na prestigiada Academia das Artes da Grande Hartford em 2008 e foi aceita no Berklee College of Music em Boston, Massachusetts, onde obteve um Bacharelado em Música Profissional com Concentração em Negócios de Música e Composição..
Anita lançou sua estréia, que é liderada por seu gerente Duane Summers, que é ex-diretor de produção / engenheiro do vencedor do Grammy da Jamaica, Sean Paul. Um artista em todos os sentidos da palavra, Anita Antoinette pinta, escreve poesia, desenha e tira fotos enquanto continua escrevendo e produzindo música.
Faz parte do álbum uma excelente versão de ''Master Blaster'',de Stevie Wonder..
Outros temas do álbum: Hotta Dan Fiyah,Care,Remember Me, Real Good Love,Paper Green,Tenderly,The Other Side of Fear,Love and War,Walk in the Light
-------------------------------
http://www.clintonlindsay.com/2017/10/10/the-voice-runner-up-anita-antoinette-releases-debut-album-smile/
----------------------------------------------
TRACKLIST
1. Hotta Dan Fiyah-4:20
2. Care-4:39
3. Master Blaster-3:57
4. Remember Me-4:20
5. Real Good Love-3:21
6. Paper Green-4:09
7. Tenderly-3:41
8. The Other Side of Fear-3:34
9. Love and War-3:48
10. Walk in the Light-4:07

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

DROOP LION-''Ideologies''-2017
























----------------------------------------------------------------
Revisão: Droop Lion - Ideologies
Por Creatah // 20 de abril de 2017
Por Liam Monaghan
------------------------------------------
Gostei muito deste álbum "Ideologies"! A voz de Droop Lion é tão única e, ouvindo-o, ouço alguns outros artistas, como Beres Hammond, mas, principalmente, sua voz é única. Ele captura o equilíbrio dos riddims modernos e antigos e criou um conjunto tradicional de faixas do Reggae com uma sensação moderna ao misturá-lo com uma faixa baseada em Dancehall e uma balada quase rock. Eu serei o primeiro a pegar um bilhete quando ele chegar ao Reino Unido e eu sugiro que você também.
Have You Seen The Rain:
Uma maneira gelada de começar o álbum com um riddim realmente relaxante que tem as vibrações e sentimentos de raízes tradicionais, mas acho que para mim nesta faixa, os destaques são as harmonias. Eles são extremamente poderosos, a voz de Droop Lion realmente me fez ouvir forte inicialmente, porque não consegui entender minha cabeça e não tinha certeza de que era adequado ao riddim, mas depois de alguns ouvidos eu entendi. Eu gostei! Uma faixa focada de forma lirica e um bom gancho no coro.
Screaming:
Sentimento diferente desta faixa em comparação com Have You Seen The Rain. Droop tem uma dessas vozes cruas que você ouviria de Beres Hammond, que é tão original! Eu gosto dessa faixa, é otimista e moderna com chapéus cintilando em toda parte com uma enorme configuração de tambor inicial que estrutura riddim. Um bom uso de harmonias novamente e acho que depois de alguns ouvidos novamente, ele funciona bem com a voz de Droop. Eu gosto de Droop em mais um Riddim de reggae de raízes tradicionais, como se ele tivesse coberto ''Last War'' por Zap Pow seria um sucesso!
Katta:
Um bom riddim, é pegajoso com algumas peças de piano agradáveis ​​em toda a placa. Eu realmente gosto do baixo nesta faixa, eu acho que em um sistema irá bater em você no peito e forçá-lo a dançar em algum tipo de caminho. As harmonias são rápidas e atraentes, sei que mencionei harmonias nas últimas faixas, mas enfatizo a voz de Droop Lion. A letra desta faixa certamente vale a pena ouvir também! Uma boa escuta e uma boa mensagem de Droop nesta faixa, legal.
Leaders Sell Out:
O início desta faixa me lembrou os tons de Lady Smith Black mambazo ou o início da canção  Banana Boat. Eu acho que a destruição da voz de Droop é o que o torna único, mas o canto e o poder de sua voz fazem com que seus registros se destaquem. O riddim é mais tradicional com os africanos, como baterias de mão ao longo do qual muda o álbum. A faixa como você esperaria pelo nome é política, mas não é um registro de pregação, por isso é uma boa audição.
Modern Slavery:
Droop traz as trombetas nesta faixa, o que me deixa animado porque leitores regulares dos meus comentários saberão, sou fã de metais. Agora, o objetivo desta pista é destacar a escravidão moderna e surpreendentemente para alguns, a escravidão não era uma coisa do passado e as cadeias envolvidas. A escravidão é abundante hoje em todo o mundo física e mentalmente e é um problema muito grande. Droop Lion usa um riddim agradável para colocar o foco em suas mensagens e letras para discutir a escravidão moderna, uma música importante no álbum.
Talk About It:
Uma boa mudança no álbum aqui. Você teve uma avaria no início do registro que segue alguns metais perversos e atingimos a quebra para o vocal com alguma guitarra rápida que examina antes que a cama seja posta de uma linha de baixo errante e a voz rústica de Droop Lion acompanhada de algumas harmonias angélicas conta a história de por que não falamos sobre coisas! Eu gosto do riddim como novo e diferente de muitos riddims na cena do Reggae no momento.
Farmer Man:
Farmer Man, não, não Jah Mason, mas traga aqueles rancos de Dancehall aos 90 anos com grandes tambores e o vento cai e deixa-o ir. A versatilidade de Lion é comprovada aqui, pois esta música é diferente do que ouvimos até agora. A letra é muito séria e mantém você ouvindo muito, então você não perde a história! Esta faixa é definitivamente uma para o Dancehall. Um dos meus favoritos no álbum puramente apenas na energia desta faixa.
Jah Wind Is Blowing:
Nós diminuímos as coisas de volta enquanto nos movemos para um riddim mais tradicional, mas ainda é uma trilha enorme. O riddim é simples e não há muito demais, no entanto, há uma sensação de grande banda com latão perverso e aqueles cantores de apoio que ecoam a voz de Droop. Um gancho muito atraente no coro e você achará que esta será uma música sólida para tocar ao vivo, você pode imaginar a quebra e as multidões gritando ''Jah Wind is Blowing, Jah Wind is Blowing'',você pode sentir isso. Nice track.
Ganja Baby:
Ganja man ... ganja pram ... ganja land ...
A ganja é o tema aqui, não há dúvida. É uma música de avaliação de ervas basicamente, mas é bom e leve de coração e não empurra a legalização pela garganta. Uma escuta fácil de Droop com algumas letras de coração leves e é muito agradável e uma música relaxada. O riddim é borbulhante e se você ouvir em falantes decentes a linha de baixo é pesada.
Time For Love
Um para os amantes e uma sensação diferente de Ganja Baby, Droop discute a falta de amor na comunidade, mas também as questões sociais a nível mundial, como a falta de água e a corrupção nos congressos...
----------------------------------------------------------
http://www.worldareggae.com/releases/new-albums/reviews/review-droop-lion-ideologies/

domingo, 1 de outubro de 2017

SISTER CAROL - THC (The Healing Cure) 2017




























-------------------------------------------------------------------------------------
Artista : Sister Carol - Título : THC (The Healing Cure) - Ano de lançamento : 2017  Etiqueta : Black Cinderella  .
Sister Carol nasceu Carole Theresa East, em 15 de janeiro de 1959, em Kingston, Jamaica. 
Sister Carol também é conhecida como "Black Cinderella " e " Mother Culture". Ela é uma cantora, DJ, compositora, atriz, empresária, educadora e humanitária muito talentosa,e uma veterana na cena do reggae na Jamaica....
Nesse seu último trabalho THC (The Healing Cure), Sister Carol enfatiza os efeitos e propriedades medicinais da ganja (Cannabis Sativa,Cannabis Indica),sua potência de cura ou alívio para um grande número de doenças,como a epilepsia....
Temos do disco:''Sour Dzl'' ,''M And M'', ''Smoke the Weed'' ,''Wicked Collie'' ,Hempumentary, Choc-Lit, Mi Need It , Herbal is Natural , Herbal Affair ,Red Eye e Hemp Remix..
------------------
TRACKLIST
01.  Sister Carol - Sour Dzl (03:49) 
02.  Sister Carol - M And M (04:19) 
03.  Sister Carol - Smoke the Weed (03:59) 
04.  Sister-Carol - Wicked Collie (03: 22) 
05.  Sister Carol - Hempumentary (04:19) 
06.  Sister Carol - Choc-Lit (04:02) 
07.  Sister Carol - Mi Need It (03:48) 
08.  Sister Carol - Herbal is Natural (03:58)
09. Sister Carol - Herbal Affair (04:01) 
10.  Sister Carol -Red Eye (03:53) 
11.  Sister Carol - Hemp Remix